Menu fechado

Por: ¹BRUM, Rodrigo Pereira, ²AZEVEDO, Rafaella Mendes.

Cardiomiopatia hipertrófica felina – revisão de literatura

FELINE HYPERTROFIC CARDIOMYOPATHY- LITERATURE REVIEW

RESUMO

A cardiomiopatia hipertrófica representa a principal cardiopatia diagnosticada nos felinos, evidenciando alta taxa de mortalidade e de letalidade, secundária ao desenvolvimento de insuficiência cardíaca congestiva, tromboembolismo e morte súbita. É caracterizada por hipertrofia concêntrica de ventrículo esquerdo simétrica ou assimétrica, isto é, de forma difusa ou localizada, podendo ser de causa idiopática ou secundária à doenças como hipertireoidismo, hipertensão arterial sistêmica e estenose subaórtica. As causas da CMH ainda são desconhecidas, porém estudos demonstram que uma anormalidade genética e hereditária com padrão de transmissão autossômico dominante, seja a principal causa. Os sinais clínicos incluem taquipneia e dispneia, intolerância ao exercício, e raramente, tosse. Anorexia e letargia podem ser as únicas manifestações clínicas de alguns gatos. O ecocardiograma é considerado o exame de escolha para o diagnóstico da patologia. O tratamento estipulado para cardiomiopatia hipertrófica dependerá da evolução do quadro de cada animal.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar